Wanderlei AroCiclo

Dia 25/03/2021 foi um dia triste pra todos os ciclistas de Palmas. Perdemos para o Covid-19, mais um grande amigo. Wanderlei da Aro Ciclo, como era chamado, pelo fato de ser o proprietário da loja de ciclismo Aro Ciclo, era um cara do Bem. Sempre alegre e educado, participava dos vários eventos de ciclismo que acontecia na região.

Nas trilhas próximo a Palmas-TO, existe uma grande decida numa pedra, que é o desafio de qualquer ciclista. Essa pedra leva seu nome, devido um grande “capote” que ele, Wanderlei levou a alguns anos atrás. Pra nós fica a lembrança desse grande homem. Deus conforte a família e amigos.

Kombike – Nosso novo projeto

Em novembro de 2019, começamos a colocar em prática um projeto que sempre tivemos vontade de fazer: Sair viajando pelo Brasil, mas, não era simplesmente ir, tínhamos de incluir o ciclismo nisso tudo.

Peguei o meu carro, um gol, vendi e comprei uma kombi, e começamos ai a sonhar cada vez mais.  Meu amigo, ciclista e também mecânico, Romeu ajudou a escolher uma kombi que não nos desse dor de cabeça futuramente. Encontramos essa da foto abaixo, fazendo aquela revisão na Oficina do Romeu.

Logo após a compra da kombi fui convidado para participar do I Cerrado Street de Grafismos, e a galera da organização me pediu pra grafitar a nosso kombi. Nesse evento conheci dois grandes artistas Tocantinense : Sandro Rios e Adrians, que foram responsáveis por grafitar a nossa kombi que deste dia em diante passou a se chamar de Kombike.

Do lado do motorista a arte de Sandro Rios

Do outro lado o registro de outro grande artista, Adrians.

Aqui começa as nossas aventuras, que é viajar o Brasil de Kombi e fazer a exploração local de bike. 

Pedal Litoral Praia do Francês – Maragogi

Que o litoral Alagoano é lindo ninguém tem duvida, agora pedalar por essa maravilha é uma oportunidade para poucos.

Em dezembro de 2019 partimos rumo a esse paraíso com ciclistas e amigos dos Estados de Tocantins, Goias e Mato Grosso.

Para aproveitar melhor o recesso nossa viagem segue sempre a mesma data: 25/12 a 02/01. Ficamos hospedados numa chácara em Massagueira, que fica a 4km da praia do Francês.

um dia antes do Pedal tivemos direito de curtir um pouco da praia do Francês. Maravilha!!!!

Primeiro dia de Pedal – Praia do Francês a Paripueira.

Segundo dia de Pedal seguimos de Paripueira a Maragogi. Esse é um trecho que super-recomendo, muitas prais lindas, principalmente Milagres.

Pedal Litoral na Península de Maraú

No ano de 2018 fizemos o Pedal Litoral na Península de Maraú. Saímos de Palmas dia 25/12/2018, rumo a cidade de CAMAMU, onde pegamos um barco para a cidade de Barra Grande-BA. Retornamos dia 02/01/2019. Com a Praia do Mutá lotada passamos o reveillon na cidade Barra Grande-BA, onde ficamos hospedados, tudo super organizado pela Tânia, da empresa Amaral Lima (73 9972-0152). Nossos principais pedais foram nos dias dias 27 a 29/12, pelas principais praias da Península: Algodões, Taipu de fora, Lago Azul, Lagoa do Cassange, Mutá e Três Coqueiros.

Esta foi a 6º edição do Pedal Litoral.

Nesse evento participaram ciclistas, parentes e amigos.

O Grupo contou com 44 participantes e o cãozinho, Leãozinho.

A Travessia usa o modelo Bikepacking. Mais o que é isso?

A Travessia usa o modelo Bikepacking. Mais o que é isso?

A partir de 2017 a Travessia da Ilha do Bananal de Bike começou a utilizar o novo modelo Bikepacking, remodelando um estilo que vinha desde sua implantação em 2010, quando usávamos vários carros de apoio, trator e motos. O que gerava em certo conforto, mais um grande custo e uma demora considerável para percorrer o percurso. Em 2017 fizemos o teste do modelo com 30 ciclistas, e os resultados foram surpreendentes. Além do menor tempo para percorrer o percurso, houve uma maior interação entre os participantes, além da proximidade/convivência com os moradores da ilha.
O Bikepacking é o que chamamos de Travessia sem carro de apoio, onde cada participante leva tudo que precisa na sua bike.
Esse conceito não é novo.
O bikepacking é um estilo de viagem em bicicletas. É um deslocamento com o minimo possível.
É uma viagem que se leva só o essencial para comer, beber e pedalar.

O bikepacking moderno renasceu pra quebrar os recordes de travessias em bicicletas e em 2017 podemos comprovar isso na Travessia da Ilha do Bananal, onde conseguimos pedalar os 100km no menor tempo desde 2010. Significa, ao pé da letra, colocar mochilas nas bikes.

O Bikepacking é libertador. Te deixa livre pra passar por onde a imaginação e a bicicleta permitirem.

Te faz ir mais longe, com menos pausas, com mais facilidade na transposição de obstáculos em kilometragens e em singletracks.

É de longe a maneira mais rápida de efetuar uma grande travessia ou completar um desafio de autossuficiência. É bom deixar pra trás itens supérfulos e descobrir que não há maior recompensa do que um banho de rio, um sanduíche nas margens da estrada ou o amanhecer na beira de uma praia, principalmente se for do Araguaia.

O Evernote ajuda você a se lembrar de tudo e a se organizar sem esforço.Baixe o Evernote.

Volta ao Lago – 360km – 11ª Edição

Volta ao Lago – 360km – 11ª Edição

Um dos maiores eventos de ciclismo do Tocantins, a Volta ao Lago completa 11 anos e reúne mais de cinquenta ciclistas amantes da moutain bike. O evento que começou despretensiosamente, como forma de aproveitar os feriados do Carnaval se transformou em um grande evento.

A 11ª Volta ao Lago acontece nos dias 10 a 12 de fevereiro de 2018 e a turma apaixonada por bike se prepara para encarar o desafio de um percurso com mais de 360km, de estradas e trilhas que exigem habilidades e acima de tudo preparo dos participante.

O circuito da Volta ao Lago, além das passagens pelos rios e lagos, passa por cachoeiras que ficam no percurso das cidades como: Porto Nacional, Escola Brasil, Luzimangue, Irmã Adelaide, Lajeado e o final do percurso em Palmas.

Logística e Segurança

Toda a logística do evento tem como objetivo proporcionar ao participante conforto e segurança. Durante todo o percurso contarão com a supervisão de um dos maiores especialistas em ciclismo no Tocantins e organizador da Volta ao Lago, Jamilton Pereira.

Outro diferencial desta edição comemorativa será o sorteio de uma bicicleta da marca Specialized e todo o participante ganhará um kit e sorteio de brindes. Nos três dias de evento, está incluso no pacote, pouso para hospedagem, alimentação, hidratação, apoio mecânico, transporte das bikes, ônibus para ciclistas, carros de apoio.

Além da grande recepção na chegada a Palmas, na loja Jammil Bikes, onde será oferecido um coquetel aos participantes presentes.

A História

Nesses onze anos, a Volta ao Lago ganhou cada vez mais adeptos e se consolidou como o maior e melhor pedal do Tocantins, em extensão de quilômetros e organização. O grande legado deste evento é a amizade, troca de informações sobre o esporte e a integração com os moradores ao longo do percurso.

A Volta ao Lago também tem seu lado social e todo ano faz doações para crianças carentes. Esse ano haverá entrega de brinquedos nas localidades em que passar.

Percurso da 11º Volta ao Lago

09/02/2018 – Saída dos atletas de ônibus para Porto Nacional
10/02/2018 – Percurso 120 Km – Porto Nacional à Luzimangues
11/02/2018 – Percurso 120 km – Luzimangues à Lajeado
12/02/2018 – Percurso 100 Km – Lajeado à Palmas (chegada na Loja Jammil Bikes, 18h)

O Evernote ajuda você a se lembrar de tudo e a se organizar sem esforço.Baixe o Evernote.

Pedal Litoral – Mangue Seco Salvador – A Viagem

Em 25/12/2011 essa história começou, quando partimos de Palmas para Aracaju, para fazer o primeiro Pedal Litoral, percurso Aracaju-Maceió. Hoje, 6 anos depois, chegamos a Salvador, saindo de Palmas com 44 pessoas num ônibus com 23 ciclistas mais seus amigos e parentes. A 5° edição desse projeto terá um percurso de 150km, entre as cidades de Mangue Seco e Salvador.
Montamos nossa base na cidade de Lauro Freitas, em Vilas do Atlântico. Aqui ficará parte da galera que não vai pedalar. As 02:00 do dia 27/12 partiremos de Vilas do Atlântico para para Mangue Seco.
Nesses dias vamos complementando essa viagem.

O Evernote ajuda você a se lembrar de tudo e a se organizar sem esforço.Baixe o Evernote.

Jalapão 300km, uma grande aventura.

Jalapão 300km, uma grande aventura. É isso que estão fazendo os ciclistas Palmense Renato Souza, Wtcln Nvs Wilteclan e Rafael Tavares. Saindo de Lagoa do Tocantins, o pedal não conta com carro de apoio, um verdadeiro Bikepacking. O tempo tem ajudado bastante. Dia 08/12 – pedalaram 150km LAgoa do Tocantins-São Félix do Jalapão. O sábado será o dia de descanso, no domingo, 10/12, mais 150km de volta.

O Evernote ajuda você a se lembrar de tudo e a se organizar sem esforço.Baixe o Evernote.

ROTA DO DESCOBRIMENTO – (PRADO – PORTO SEGURO)

25/12/2014 – Saída de Palmas

Saímos de Palmas dia 25/12, as 18h, de ônibus, com 40 pessoas, entre ciclistas e amigos que irão participar do Pedal Rota do Descobrimento. Além do ônibus, estão indos três caminhonetes com outros participantes.

Cumprimos nossa previsão e chagamos a Cabrália no dia 27/12 as 3h da manhã. Ficamos hospedados na Pousada Arakakai e na Pousada do Mineiro.

O dia 27/12 ficou livre para os grupos se divertirem. No dia 28/12 a 1h da manhã saímos rumo a cidade de Prado-BA

28/12/2014 – PRADO – CURUMBAU

Chegamos a Prado as 5h da manhã. Começamos a montagem das Bikes, e esperamos a padaria abrir. Tomamos o café e demos inicio o primeiro trecho do Pedal, rumo a CURUXATIBA, distante 33km. Como a maré ainda estava alta fomos pela estrada que margeia a praia. Toda estrada de terra, em boas condições, mais como muitas subidas e descidas. O nosso carro de apoio, ônibus e uma Caminhonete, foram por outra estrada e nos esperávamos em Curumu. Com muitas paradas para fotos, chegamos a Cumuru as 12h. Aproveitamos para almoçar. Cumuru tem uma boa infraestrutura de barracas, e ótimos lugares para comer e beber. O lugar é bastante movimentado.

As 14h30, com a maré baixa começamos nosso primeiro percurso pela praia. Ainda com areia meio pesada. Pedalamos 15km pela praia e retornamos para a estrada de terra. Antes tivemos que escalar uma falésias para acessar a estrada de terra. A partir dai um pedal bem tranquilo, apesar das subidas e decidas.

No final da tarde chegamos ao Pontal do Corumbau. Simplesmente fantástico. Ficamos acampados na praia. A noite foi de festa. Levamos violão, caron e pandeiro, e fizemos uma noite animada.

29/12/2014 – CORUMBAU – TRANCOSO

As 9h da manhã saímos em dois barcos até a Aldeia dos Pataxó. Um belo passeio, e para muitos a primeira vez de barco em alto mar. O passeio durou aproximadamente 1h.

Após a chegada a Aldeia dos Pataxós, seguimos pela estrada de terra até Caraiva. O lugar é lindo, e tem uma galera muito descolada. Almoçamos em Caraiva, fizemos a travessia do rio Caraiva de barco, e seguimos pela praia para a Praia do Espelho. O visual por aqui é simplesmente fantástico. Parada obrigatória na praia do espelho.

Depois seguimos pela estrada de chão até Trancoso. Nossa previsão era dormir em Trancoso. Mais a cidade estava tão cheia que tomamos a decisão de irmos de carro até Cabrália.

30/12/2014 – CABRÁLIA

No dia 30/12, algumas pessoas fizeram o pedal de Cabralia até Trancoso, a maioria resolveu ficar na praia e aproveitar ao máximo.

Até o dia 02/01, a programação ficou livre.

No dia 02/01 retornamos a Palmas.

Vale resaltar a boa energia de todos os participantes. Não tivemos nenhum caso de discórdia, pelo contrário, reaproximação foi a palavra de ordem.

ROTEIRO

O Evernote ajuda você a se lembrar de tudo e a se organizar sem esforço.Baixe o Evernote.

Pedalando na Chapada dos Veadeiros

Depois de conhecer a Chapada dos Guimarães em Mato Grosso, a Chapada das Mesas no Maranhão, a Chapada Diamantina na Bahia, agora foi a vez de conhecer e pedalar pelos vales e cachoeira da Chapada dos Veadeiros.
Saímos de Palmas-TO, em dois carro dia 24/03, para percorrer 630km até a cidade de Alto Paraiso-GO, onde ficamos hospedados no Camping da Mara Jane, (25,00 camping e 50,00 Chalé). Participaram dessa aventura, Parriul, Jack, minhas filhas, Mahayra (4 anos), Poema (2 anos), Nelson, Grazi, Samir (8 anos filho da Grazi), Meris e Edna. Dessa turma apenas a Grazi e os meninos não pedalariam. Chegamos a tarde em Alto Paraíso, onde encontraríamos o nosso Guia/ciclista Darlan Lima, (200,00 a diária). Arrumamos as barracas. Meris, Jack, Edna e Poema ficaram no Chalé.
A noite deu tempo para conhecer um pouco da noite de Alto Paraiso. Com um friozinho muito agradável, comemos uma pizza e fomos dormir cedo.

Dia 25/03 – Cataratas do Couros
As 6h da manhã, lá estava nosso guia, o destino do primeiro dia era conhecer as Cataratas formadas pelo rio Couros. Colocamos as bikes no carro e seguimos 18km de asfalto, até a estradinha de terra, onde começaríamos o Pedal. Foram 32km até o local onde o carro de apoio e as bikes ficariam. Era a hora de seguir a trilhas agora caminhando até as cataratas. Pra fazer essas trilhas é bom ter um bom preparo físico. O primeiro mergulho num visual fantástico. Depois seguiríamos mais alguns quilômetros para apreciar a mais queda dágua.
Nessa época costuma chover, e com as pedras molhada era preciso ser mais cuidadoso ainda.
Após conhecer as corredeiras seguimos para o rancho da Dona Eleusa onde tínhamos reservado o nosso almoço. Comida muito boa, a vontade e um preço também muito bom, (32,00 por pessoa). Voltamos para Alto Paraiso, e a noite fomos para a pizzaria Chapadócia, onde estava rolando um forrózinho ao vivo. Um lugar bem legal.

Dia 26/03 – Almecegas
Novamente as 6h lá estava nosso guia, que nos levou pra levar pra tomar café no recém inaugurado feira dos artesãos, dali seguiríamos até a Fazenda São Bento, 8km de Asfalto e mais 4km de terra, onde iriamos conhecer as cachoeiras das Almecegas 1, 2 e São Bento. Esse foi o dia que mais choveu. Deixamos as bikes no estacionamento e seguimos subindo nas trilhas até as Almecegas. Muito lindo o local. Fiquei com a Jack e as meninas nas corredeiras, enquanto o restante da turma seguiram para os lugares mais radicais.
Saindo das Almecegas, seguiríamos direto para a cidade de São Jorge, agora 24 km por uma ciclovia novinha e bem sinalizada. Chegamos em São Jorge debaixo de chuva, onde almoçaríamos e depois retornamos para Alto Paraiso de carro.
Mais uma noite em Alto Paraíso, conhecendo a feirinha, alguns botecos, e aproveitando as redes de wifi para sincronizar o strava e subir as fotos.

Dia 27/03 – Vale da Lua
Tudo que é bom dura pouco, e teríamos que voltar pra Palmas. Mais como voltar sem conhecer o Vale da Lua. No dia anterior, devido a chuva não pudemos ir ao local. E decidimos que devido o curto tempo iríamos ao Vale da Lua, de carro. Chegamos ao estacionamento, e seguimos por uma trilha bem tranquila de 3km, e logo chegaríamos num cenário totalmente diferente de tudo que conhecíamos. Muito lindo mesmo. Após a visita voltaríamos para arrumar nossa bagagem, almoçar e seguir de volta a Palmas.

O Evernote ajuda você a se lembrar de tudo e a se organizar sem esforço.Baixe o Evernote.